• LinkedIn - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • Google+ - White Circle
  • Twitter - White Circle

 COPYRIGHT © VANUCCI | INTELIGÊNCIA DE MERCADO

 

VANUCCI | INTELIGÊNCIA DE MERCADO

Rua Professor Manoel Casassanta, 383 - 4º andar

Belo Horizonte - MG - Brasil

CEP: 31310-590

+55 (31) 3309-2307

e-mail: renata.vanucci@vanucci.com.br

9 Dicas para Aumentar a Venda de Produtos Agrícolas em Sua Loja

 

Você sabe como aumentar a venda de produtos agrícolas em sua loja? Elevar esse número é um dos grandes desafios de quem empreende no setor. Afinal, quais estratégias utilizar? Como mudar o que está errado e vender mais?

Pensando nessas questões, elaboramos este artigo. Ao longo do texto, você entenderá quais gargalos precisam ser corrigidos e o que precisa ser feito para impactar seus clientes e, assim, obter resultados satisfatórios.

Vamos lá?

 

Suas vendas estão caindo? Pare e analise os possíveis motivos

 

Para analisar o tema com maior profundidade, entrevistamos Gustavo Vanucci, que é CEO da VANUCCI, organização que desde 2009 desenvolve estudos e pesquisas mercadológicas para empresas de vários segmentos obterem mais sucesso.

Para ele, “os principais motivos que causam diminuição de vendas em uma loja de produtos agrícolas é a redução do fluxo de clientes e do ticket médio, classicamente”. Na atualidade, porém, esse panorama se alterou devido a fatores macroeconômicos.

Nos últimos anos, a procura por produtos de menor valor passou a ser um motivo de queda nas vendas, ou seja, com a diminuição da saída dos produtos mais caro, a sua receita cairá.

Portanto, se você não consegue vender o tanto que julga como ideal, é preciso olhar com atenção para esses pontos e desenvolver medidas efetivas a fim de contorná-los. No próximo tópico, elencaremos uma série de dicas que você pode aplicar no cotidiano de seu varejo e, a partir disso, chegar às melhorias desejadas.

Então, veja 9 práticas que podem auxiliar nas vendas de sua loja!

 

1. Investir no cross selling

O cross selling nada mais é do que uma estratégia usada para melhorar a experiência do comprador. Ao praticá-la, o objetivo é oferecer produtos complementares antes ou depois de os consumidores finalizarem uma compra.

Você pode, por exemplo, anunciar pregos e martelos na seção de telas, porque esses dois produtos são utilizados juntos e/ou para realizar uma mesma atividade. Equipamentos para instalação de cercas, por sua vez, podem ficar ao lado de arames, ao passo que acessórios para o confinamento de gado devem ficar próximos uns dos outros.

 

2. Ter um bom atendimento

O atendimento é um fator de extrema relevância para conquistar o comprador e fidelizá-lo, fazendo com que ele volte a fazer aquisições em sua loja. Portanto, a equipe precisa de um bom preparo para saber identificar as necessidades que ele tem, fazer indicações precisas, solucionar dúvidas e assim por diante.

 

3. Utilizar o CPF nos cupons fiscais e/ou notas fiscais

A utilização do CPF nos cupons fiscais e/ou notas fiscais será obrigatória em muitos setores varejistas a partir de 2019. De acordo com Vanucci, essa mudança pode ocasionar uma porção de vantagens competitivas.”Será possível estabelecer a frequência de compra, o ticket médio, número de itens, entre outras informações necessárias para estruturar o perfil do cliente (persona)”, explica.

Segundo Gustavo, também existe a possibilidade de aproveitar esses dados estrategicamente por meio da “utilização de técnicas de Data Analytics para extrair o momento de consumo e verificar se há evidências para compras futuras. Ou seja, quando um cliente adquire medicamentos para o gado leiteiro, ele pode ser um potencial cliente de arame”.

 

4. Disponibilizar programas de fidelização

Os programas de fidelização são úteis não só para acompanhar a rotina de consumo dos clientes, mas também auxiliam a estreitar o relacionamento com eles e garantir que façam compras em seu estabelecimento de forma cíclica. Como se não bastasse, isso também pode colaborar para que indiquem sua empresa para outros consumidores.

Para alcançar essa meta, Vanucci diz que se deve “estimular e despertar emoções positivas a ponto do cliente indicar o estabelecimento para outras pessoas. Dessa maneira, todas as vezes que surgir a necessidade e desejo, o primeiro estabelecimento que vier na memória será aquele que gerou uma maior experiência de compra”.

 

5. Treinar o time de vendas

Os treinamentos para os atendentes precisam ir além da receptividade ou da empatia pelo cliente. É fundamental que, dentro de sua loja, seja praticada uma verdadeira cultura de vendas, na qual o time seja completamente integrado e conheça a fundo as diferenciações entre marcas, modelos, modos de utilização e afins.

Entender os concorrentes é uma prática essencial em diversos setores do varejo e, no mercado de produtos agrícolas, não é diferente. Procure saber como eles estão se posicionando e tente compreender quais são os pontos em comum e as divergências que existem entre as empresas.

 

7. Ativar o público-alvo

Para aumentar o fluxo de clientes na loja é imprescindível recorrer à ativação do público-alvo. Para isso, deve-se considerar “a necessidade de instalar equipamentos que contam o número de pessoas na loja, o tempo de permanência, a frequência de visitas na loja e nas seções, pontos quentes, áreas que recebem o maior fluxo e análise por meio de mapas de calor”, ressalta Vanucci.

Os aparelhos que têm essas finalidades são chamados de “indoor location” ou “people counting in real time”. Eles são usados nos principais varejos do mundo e podem monitorar muitas informações relevantes durante a jornada de compra.

 

8. Promover as marcas com maior valor agregado

Para Gustavo, essa é uma ação que pode colaborar muito para o sucesso das vendas. “Assim, os produtos com maior preço médio da categoria ganham espaço extra nos estabelecimentos, além da utilização das técnicas de cross merchandising. Cabe ressaltar que a utilização de promoção não quer dizer oferta. Oferta é a ação de reduzir o preço, já a promoção é um estímulo visual ou auditivo para chamar a atenção”, diz o CEO.

 

9. Contar com o apoio da tecnologia

No cenário internacional, os recursos tecnológicos para varejo vêm fazendo a diferença. Entre as tecnologias mais utilizadas, Vanucci destaca as seguintes:mapeamento das gôndolas;

  • inteligência artificial (machine learning) na recomendação de compras para o consumidor;

  • avaliação do índice de satisfação do consumidor;

  • análise de satisfação por área da loja;

  • preço dinâmico;

  • cupom digital integrado;

  • compra na loja com entrega na casa do cliente.

Enfim, atingir a excelência na venda de produtos agrícolas depende de muitas variáveis. Ainda assim, com o devido planejamento, é possível melhorar os números de seu empreendimento e conquistar a clientela.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Publicação em destaque

Expectativas sobre a #Euroshop 2020: Inovação, Posicionamento Estratégico e Personalização do Varejo Alimentar.

October 20, 2019

1/8
Please reload

Publicações Recentes